Epopéia Ijuhy

A primeira edição do documentário recebeu o nome "Epopeia Ijuhy - A Saga dos Pioneiros que formaram a Terra das Culturas Diversificadas", teve a direção geral de Francisco Miron Roloff, produção e edição de Alexandre Menezes e a realização da TV Ijuí, com a duração de 58 minutos teve como base mais de 40 horas de gravações e cerca de 180 horas de produção e edição. 

O longa metragem, somado a parte teatral, conta com depoimentos comoventes, revestidos de nostalgias e saudades e retrata as faces das mais diversas etnias que deixaram suas Pátrias em busca do sonho de uma nova terra, onde pudessem prosperar e manterem-se unidos. Ijuhy foi a Primeira Colônia da República no Rio Grande do Sul e é considerada Colônia Multiétnica Pioneira no Brasil. Nos primeiros anos de colonização (1890 a 1912) Ijuí recebeu aproximadamente descendentes de 20 etnias. Hoje, passados mais de 120 anos desta saga, o Município acolhe descendentes de mais de 30 etnias. Imigrantes, Filhos, Netos e Bisnetos contaram suas histórias e descreveram com veracidade as emoções, as dificuldades e, principalmente, a coragem dos seus antepassados, refletidas nesta obra. Uma viagem ao passado em um tempo que jamais o esqueceu.

A segunda edição do documentário está sendo produzida neste ano de 2016, tendo como nome "Epopeia Ijuhy - A terra das culturas diversificadas" e promete emocionar novamente todos os espectadores e principalmente comemorar a significativa data de 20 anos da União das Etnias de Ijuí, e 30 anos da Festa Nacional das Culturas Diversificadas. 


Confira abaixo mais sobre cada edição do espetáculo Epopéia Ijuhy. 

A Epopeia Ijuhy 2013 retratou a chegada da primeira leva de imigrantes na Colônia Ijuhy, em 1890, nos carroções de boi, pela picada, quando aqui só havia mato, e também a divisão de terras feita pela Comissão de Terras aqui já instalada. A ênfase foi dada a angústia, insegurança, a saudade da pátria deixada para trás pelos imigrantes, mas ao mesmo tempo a esperança em uma nova vida. Foram aqui recebidos pelos caboclos e pelo Intendente Augusto Pestana.

Equipe da Epopeya 2013 

Coordenação Geral: Francisco Miron Roloff
Diretor Geral: Maria Alice Sides
Diretor de Cena: Fábio Mateus Novello

Personagens

Maria Alice Sides - Cabocla
Fábio Mateus Novello – Augusto Pestana
Maria Salete Cassol Eickhoff – Imigrante recém-chegada
Janira Lurdes Darui Lopes – Imigrante recém chegada
Dalva Ghisleni Favarin – Imigrante recém- chegada
Marilei Fátima Smarsla Czyzeski - Imigrante recém-chegada 
Luan Christian da Silva – Guia de comboio
Jeferson Wildner de Oliveira – Guia de comboio

Galerias de fotos


A Epopeia Ijuhy 2014 retratou a Colônia Ijuhy, em 1911. As famílias de imigrantes chegadas em 1890 já estão produzindo e devidamente instaladas. A Colônia Ijuhy prosperou com a chegada da Estrada de Ferro, inaugurada em 19 de outubro de 1911. Novos imigrantes continuavam a chegar, agora de trem. Em pleno funcionamento os moinhos, carpintarias, olarias, alambiques. Destacou também a importância da fé na vida dos imigrantes aqui instalados, através da construção de igreja, bem como a importante presença do Padre Antônio Cuber. A colônia organizava-se para a emancipação política que aconteceria em 1912. 

Neste período retratado o intendente da colônia era ainda o engenheiro Augusto Pestana.

Equipe da Epopeya 2014

Coordenação Geral: Francisco Miron Roloff
Direção Geral: Maria Alice Sides
Diretor de Cena: Fabio Mateus Novello

Personagens

Fabio Mateus Novello - Intendente Augusto Pestana
Maria Alice Sides - Cabocla
Maria Salete Cassol Eickhoff – Imigrante já estabelecida
Janira Lurdes Darui Lopes – Imigrante já estabelecida
Dalva Ghisleni Favarin – Imigrante recém-chegada
Luan Christian da Silva – Jornaleiro
Dener Alves Pereira – Agente da Estação Férrea
Dionatan Silveira Gonçalves– Bilheteiro da Estação Férrea
Deise Veriato Gomes – Imigrante recém-chegada
Alex Soares da Rosa – Imigrante recém-chegado
Douglas de Oliveira Quevedo – Proprietário do Moinho
Rafael Freitag Radke – Operário do Moinho
Antonio Mailon da Silva Ferreira – Filho da Cabocla
Marcelo de Jesus dos Santos – Padre Antônio Cuber
Kewen Adão Paz Rebello – Operário da Carpintaria
Ezequiel Marques da Rosa – Oleiro
Mateus Gabriel Fialho Zuchetto – Carpinteiro

Galerias de fotos


A Epopeia Ijuhy 2015 retratou Ijuhy já emancipado, em 1915. Era administrador Antônio Soares de Barros, o Coronel Dico, que governava com mãos de ferro. Amado por uns por outros odiado. A intendência já estava instalada. A Casa Dico de propriedade do Coronel, administrada por sua esposa Dona Lucília e os filhos, era a casa comercial forte da região, pois era nela que tudo se encontrava . Abordou também a presença administrativa e política do Intendente, Coronel Dico, após a emancipação. A instalação da Milícia Municipal que mantinha a ordem e segurança do município. Na época ainda chegavam imigrantes, mas em menor número.

Equipe Epopeya 2015

Coordenação Geral: Francisco Miron Roloff
Direção Geral e de Cena: Maria Alice Sides

Personagens

Elias Ricardo Borré da Silva – Coronel Dico
Maria Alice Sides - Cabocla
Maria Salete Cassol Eickhoff – Imigrante recém chegada
Janira Lurdes Darui Lopes – Imigrante já estabelecida
Dalva Ghisleni Favarin – Imigrante já estabelecida
Luan Christian da Silva – Fotógrafo
Douglas de Oliveira Quevedo – Proprietário Moinho
Antonio Mailon da Silva Ferreira – Luiz Amaro- Segurança do Coronel Dico
Ezequiel Marques da Rosa – Segurança do Coronel Dico
Rosete Trevisol – Dona Lucília, esposa do Coronel Dico
Douglas Fischer – Agente da Estação Férrea
Rodrigo Bronzatti- Bilheteiro da Estação Férrea
Osvaldo Sprandel – Imigrante recém chegado
Hugo Lourenzon – Carpinteiro
Jabes Massoco- Oleiro

Galerias de fotos